ENCONTRE AQUI

Rede 5G mais cedo nas cidades brasileiras

Conecta 5G oferece aos municípios acesso facilitado à quinta geração móvel. Projeto começa a ser instalado em julho, em 14 cidades do país

UCM | 11/05/2022

A luminária pública inteligente com antena 5G integrada é a solução que pode antecipar o acesso à rede 5G para municípios brasileiros. Desenvolvida exclusivamente para o projeto Conecta 5G, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a luminária é um caminho para a instalação da infraestrutura necessária para o 5G, e pode render às prefeituras receitas acessórias para seus municípios, além de novos modelos de negócios que contribuam para o desenvolvimento regional.

O Conecta 5G é um projeto da ABDI em parceria com o Parque São José dos Campos, e apoio do Ministério das Comunicações e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A luminária, desenvolvida pelas empresas Nokia e Juganu, contém uma antena 5G embutida e utiliza a tecnologia de chipset da empresa Qualcomm.

A partir de julho, duas capitais brasileiras, Curitiba (PR) e Maceió (AL), além de 12 municípios começam a receber a tecnologia, que vai funcionar, no primeiro momento, em caráter de teste, em uma zona urbana limitada pelas prefeituras.

“Estamos criando a oportunidade de o município testar a conexão 5G, por meio da iluminação pública, que vai contribuir para a melhoria da segurança pública, da mobilidade urbana e dos serviços em geral. Isso significa internet de alta qualidade para o cidadão e, para a prefeitura, a possibilidade de testar modelos de negócios com aplicações de 5G voltadas a empresas ou startups”, afirma o presidente da ABDI, Igor Calvet.

A transmissão do sinal do 5G requer a instalação de, pelo menos, cinco vezes mais antenas em relação à quantidade utilizada pelo 4G. Para isso, as cidades precisam adequar suas legislações locais à Lei Geral de Antenas, um processo que pode causar lentidão para o acesso à quinta geração móvel.

Com as luminárias inteligentes do projeto Conecta 5G, os municípios resolvem esta questão de infraestrutura porque podem instalar a tecnologia nos postes de iluminação pública. “Colocar antenas dentro das luminárias vai resolver a questão da falta de locais nas cidades, independentemente da lei de antenas, que regula o uso de espaços privados para sua colocação. Isso porque no Brasil, o poste é da concessionária de energia, e, portanto, um espaço privado, mas a luminária é do município, é pública”, explicou o gerente de Novos Negócios da ABDI, Tiago Faierstein.

A instalação das luminárias inteligentes com antena 5G começa em julho, nas primeiras cidades que aderiram ao projeto. Nesta primeira fase, o Conecta 5G terá a duração de 36 meses e recursos da ordem de R$ 10,3 milhões, sendo R$ 10 milhões da ABDI e o restante de contrapartida. Os testes serão realizados nas faixas de frequência 3.7; 3.8; 27.5; e de 27.9 GHz (gigahertz) da tecnologia 5G.

Nesta etapa, a luminária oferecerá a rede 5G para conexões entre equipamentos urbanos, como semáforos inteligentes, e aplicações empresariais. O cidadão não terá acesso ao sinal 5G, mas poderá usufruir de uma internet de alta qualidade, a partir da rede WiFi instalada também na luminária.

Após a fase de testes, Tiago explica que os municípios poderão montar seu parque de iluminação pública com luminárias inteligentes por meio de recursos advindos da contribuição municipal de iluminação pública, chamada em alguns municípios de Contribuição de Iluminação Pública (CIP). E poderão, inclusive, gerar receita acessória com o aluguel das luminárias para as operadoras de telefonia.

Esse modelo, segundo ele, pode resultar ainda em parcerias público-privadas (PPPs), onde as operadoras podem estar junto com o município – a operadora atendendo o usuário final e gerando renda, e o município tendo seu serviço próprio.

De modo geral, a rede 5G vai habilitar tecnologias que terão impacto na economia e que vão melhorar a vida das pessoas, como telemedicina, sensores nas cidades, medidores inteligentes, entre outras. “Vai melhorar nossa segurança pública, nossa mobilidade, nossa saúde e nossa educação, com melhor conexão nas escolas, aulas on-line, por exemplo, em tempo real”, afirmou o gerente da ABDI.

Atualmente, o Conecta 5G prevê ações nas capitais Curitiba (PR) e Maceió (AL) e em 12 municípios do país: Juiz de Fora (MG); Ceará-Mirim (RN); Petrolina (PE); Araguaína (TO); Jaraguá do Sul (SC);  Picos (PI); Sorocaba (SP); Paraipaba (CE); Pato Branco (PR); Foz do Iguaçu (PR); Parauapebas (PA) e Canaã dos Carajás (PA).