ENCONTRE AQUI

Semana Internacional do Café premia cinco cafeicultores de Rondônia

No total, seis produtores foram premiados. Projeto IG Matas de Rondônia é apoiado pela ABDI

UCM | 16/11/2021

Dos seis prêmios do concurso Coffee of the Year 2021, na Semana Internacional do Café, em Belo Horizonte (MG), para cafés da espécie canéfora (robusta e conilon), cinco deles foram para os cafeicultores de Rondônia, da área delimitada da Indicação Geográfica (IG) Matas de Rondônia, projeto apoiado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

 

O estado vem se destacando pela qualidade crescente da produção de café canéfora. Na categoria de fermentação induzida canéfora, os três primeiros lugares foram para produtores de Rondônia, da cidade de Novo Horizonte. Já o município de Cacoal ficou com o segundo e o terceiro lugar na categoria canéforas naturais.

 

Rondônia conseguiu recentemente, em junho deste ano, a primeira Indicação Geográfica Matas de Rondônia, denominação de origem para Robustas Amazônicos sustentável do mundo. O reconhecimento é conferido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). 

 

A ABDI realizou os diagnósticos e análises técnicas para a Indicação Geográfica. Segundo o analista de produtividade e inovação da Agência, Antônio Tafuri, a aproximação da indústria com a cadeia produtiva e sua organização traz inúmeros benefícios, como a percepção da qualidade e valor do café. “Isso pode gerar novos produtos que estarão disponíveis aos consumidores em um curto espaço de tempo”, explicou

 

Para ele, o impacto do reconhecimento da IG organiza formalmente uma cadeia de valor desde o produtor até a agroindústria que beneficia e comercializa o produto final. "É uma satisfação muito grande dar a contribuição da ABDI para o desenvolvimento regional do norte do país, por meio do café. Receber cinco premiações no Coffee of the Year é um ótimo indicador de que o projeto esteja no caminho correto”, afirma.

 

A ABDI, em parceria com Prefeitura de Cacoal, iniciou os esforços em 2017, junto com outras instituições. A Agência foi responsável pelo diagnóstico, articulação com os parceiros institucionais (públicos e privados, até mesmo internacionais, como a Plataforma Global do Café), pela aprovação de recursos, contratação e execução do projeto.

 

Zona da Mata

A área da Indicação Geográfica abarca 15 municípios de uma região conhecida como Zona da Mata. São eles: Alta Floresta d’Oeste, Cacoal, São Miguel do Guaporé, Nova Brasilândia d’Oeste, Ministro Andreazza, Alto Alegre dos Parecis, Novo Horizonte do Oeste, Seringueiras, Alvorada d’Oeste, Rolim de Moura, Espigão d’Oeste, Santa Luzia d’Oeste, Primavera de Rondônia, São Felipe d’Oeste e Castanheiras. 

Participaram dos esforços as instituições: Mapa, Seagri-RO, Emater-RO, Embrapa-RO, Sebrae-RO, Abic, Abics, Cecafé; Plataforma Global do Café (GCP) e GRAS/4C.

 

Indicação Geográfica

A Indicação Geográfica (IG) é um método utilizado em diversos países do mundo para proteger a propriedade intelectual de produtos ou serviços do uso de terceiros. Como resultado, comunica-se ao mundo que uma certa região se especializou e tem capacidade de produzir um artigo diferenciado e de excelência.