ENCONTRE AQUI

Vem aí: 2ª edição da pesquisa sobre adoção da metodologia BIM no setor de AEC

Estudo feito pela ABDI em parceria com Grant Thornton e Sienge visa monitorar o andamento na adoção do BIM e sua maturidade entre as construtoras brasileiras

UCM | 02/06/2022

Alinhada à sua missão de promover o aumento de maturidade digital de todos os segmentos do setor produtivo, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), em parceria com a Grant Tharnton e Sienge, realizam a segunda edição da pesquisa Mapeamento de Maturidade BIM Brasil. O estudo tem como objetivo identificar o nível de maturidade do BIM (Building Information Modeling) na indústria da construção brasileira.

O governo federal estabeleceu, por meio do decreto nº 10.306/2020, a utilização do BIM na execução direta ou indireta de obras e serviços de engenharia realizadas por alguns órgãos e entidades da administração pública federal.

No mesmo ano (2020), quando foi realizada a primeira edição dessa pesquisa, os resultados indicavam que 38,4% das empresas participantes do mapeamento já utilizavam a plataforma, com 70% das empresas afirmando que pretendiam adotar em até dois anos.

Com a obrigatoriedade prevista, se torna necessário entender como esse processo, que promove mudanças na forma de pensar e agir dos envolvidos no setor, encorajando a visão dos projetos a longo prazo e com uma colaboração multidisciplinar, vem sendo utilizada e adotada pelas empresas da cadeia de construção civil. A nova edição da pesquisa vai verificar se houve um incremento na utilização da metodologia e qual o seu impacto.

De acordo com o analista de Produtividade e Inovação, Leonardo Santana, a transformação digital no setor da construção civil não se trata apenas de digitalizar processos analógicos ou agregar tecnologias aos processos tradicionais, mas sim de uma mudança completa de estratégia. “A pesquisa pode ter como um dos seus resultados o direcionamento de ações mais acertadas de difusão e adoção de tecnologias para o setor de Arquitetura, Engenharia e Construção como um todo”, observou.

“A pesquisa tem como objetivo mostrar que, apesar dos avanços dos últimos anos, mesmo durante a pandemia, o setor tem um longo caminho a percorrer até atingir um processo maduro e coeso de adoção do BIM. A metodologia BIM é uma das alavancas para a transformação digital no canteiro de obras e os resultados da pesquisa serão de fundamental importância para a tomada de decisão dos próximos anos”, explica Guilherme Quandt, Diretor de Estratégia e Mercado o Sienge.

Neste ano, a pesquisa foi totalmente reformulada – são apenas 20 perguntas com foco no recorte essencial que apontará o nível de maturidade atual da metodologia no país. Participe da pesquisa e tenha acesso ao conteúdo do relatório de resultados antes do lançamento oficial. 

Sobre a Grant Thornton

Grant Thornton é uma das maiores empresas globais de auditoria, consultoria e tributos. Nossa escala global, combinada com sólidos conhecimentos de mercados locais, permite auxiliarmos organizações dinâmicas a liberarem seu potencial de crescimento, oferecendo recomendações significativas, voltadas ao futuro.
Estão presentes em mais de 140 países e contam com mais de 62 mil colaboradores, o que significa que podem atender às suas necessidades e oferecer insights e agilidade aos nossos clientes para mantê-los um passo à frente.

No Brasil, estão presentes em 12 cidades. Possuem especialistas focados em desenvolver soluções customizadas a todos os tipos de empresas e segmentos, desde startups, empresas privadas, familiares, a empresas de capital aberto e organizações públicas nacionais e internacionais.

Sobre o Sienge

O Sienge é a plataforma especialista líder em gestão para indústria da construção. Com mais 30 anos de mercado e mais de 4,5 mil clientes, o Sienge oferece um robusto leque de soluções em seu ecossistema tecnológico para todas as etapas do ciclo de incorporação, com atuação focada em promover a transformação digital do setor.

Sobre ABDI

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) formula e executa ações que contribuem para o desenvolvimento do setor produtivo nacional. Sua missão é estimular a transformação digital dos negócios, com vistas para o aumento da produtividade, competitividade e lucratividade. A ABDI também incentiva testes com novos modelos de negócios e uso de tecnologias em cidades inteligentes. A Agência é indutora da cultura de digitalização na economia nacional, gera inteligência competitiva e é responsável pela articulação entre agentes públicos e privados, sempre com o foco no desenvolvimento econômico e social do país.